Origem do Estilo Garra De Águia

Origem do Estilo Garra De Águia


NGOK FEI E AS 108 TÉCNICAS DE LUTA

Em 1130 d.C., a China estava sob as regras do rei Go Chung, e foi invadida pelos "Soldados Dourados" da Mongólia. Na resistência Sung havia um brilhante general chamado Ngok Fei, famoso por sua honestidade e patriotismo como também por seu kung fu perfeito. Ele treinou seus soldados nas técnicas de luta que adaptou do kung fu do monastério Sil Lum, o qual aprendeu de um monge chamado Jow Tong. Usando essas técnicas, Ngok Fei e suas tropas derrotaram os invasores mongóis.

General Yue Fei, herói da China
Em várias ocasiões sucedeu de capturarem Gam Ngat Sut, o general mongol, mas achando-o um oponente indigno, eles o libertaram. Soube-se que que o General Ngok Fei e seus soldados, sem nenhum auxílio, puderam proteger metade do país. Como resultado, as técnicas de Ngok fei, conhecidas como Ying Kuen, adquiriram brava reputação através da China. Conhecidas como as "108 técnicas de chaves" ou Ying Sao (punho de águia) , o sistema consiste primariamente de trabalhos com as mãos, variandode simples obstrução e socamento, ao mais complicado corpo a corpo, dando ênfase ao uso de agarramento rápido e pressionando pontos estratégicos. Ainda ensinado nos dias de hoje, as 108 técnicas de chaves deram grande respeito a Ngok Fei durante sua vida.
Enquanto Ngok fei ganhava reputação, como um grande general, o rei de Sung, Go Chung, gozava sua vida de ócio. Como mau líder, ele delegou muito da sua autoridade para o primeiro ministro, Chun Kui, que infelizmente não era nem escrupuloso, nem patriota. De fato, ele foi um agente trabalhando para os mongóis. Para seu próprio interesse, Chun Kui aconselhou Go Chung a cessar as hostilidades para com os mongóis, apressando-o, ao usar um "Decreto Dourado" chamando de volta Ngok Fei. Quando Ngok fei recebeu a ordem, ele estava no meio de uma batalha e não pode voltar. Chung Kui insistia que era ordem do rei e que Ngok Fei parasse de lutar. Go Chung enviava decreto após decreto. Ngok Fei persistia em guerrear mesmo tendo que decidir entre proteger seu país ou obedecer ao rei. Finalmente, se fosse ignorado o "Vigésimo Decreto Dourado", isso significaria o exílio. E o patriotismo exigiu a obediência. No seu caminho de volta à capital, ele parou para descansar. Chun Kui havia se antecipado na rota de Ngok fei, e mandou alguns de seus homens ficarem na espera em emboscada. Quando esse chegou, eles o assaltaram e mataram em uma aramdilha que não deixou chance de defesa para Ngok Fei. Com apenas trinta e nove anos -como muitos bons homens na história- Ngok Fei teve uma carreira breve e brilhante, morrendo brutalmente tão jovem. Enfurecidos pelo trágico desaparecimento de seu líder, os soldados de Ngok Fei abandonaram os serviços do rei. Eles perambulavam por todas as partes da China, e alguns continuaram com a prática das 108 técnicas de chaves . Dessa maneira Ying Sao propagou-se e sobreviveu aos levantes políticos e sociais do século 13 na China. Nesse tempo, o sistema garra de águia achou de volta o caminho para suas raízes - o monastério Sil Lum onde Ngok Fei havia estudado com Jow Tong anos antes.

A Criação do Faan Tzi Ying Jow Pai

No monastério, as 108 técnicas de chaves eram praticadas e passadas às novas gerações nas muitas formas que Ngok Fei desenvolveu. Então, durante a Dinastia Ming (1368 - 1644), o sistema sofreu drásticas mudanças.
As 108 técnicas de chaves foram reveladas a um monge de nome Lai Chin, um famoso mestre do kung fu Faan Tzi. O sistema Faan Tzi era bem conhecido por seus chutes altos e complexo trabalho de pernas. Lai Chin ficou muito impressionado com as técnicas do garra de águia, e decidiu combiná-las com seu próprio estilo. Ele gastou vários anos nessa tarefa. Primeiro, ele teria que dominar as 108 técnicas de Garra de Águia. Então, combinando-as com as formas estabelecidas do Faan Tzi, achar e eliminar os pontos fracos de ambos os sistemas. Sucedeu-se que ele criou um sistema completo, mais forte e mais efetivo do que cada um deles sozinho, que se chamou Faan Tzi Ying Jow Moon. Praticado ainda hoje na sua forma original, é agora conhecido como Ying Jow Pai, o Sistema Garra de Águia.

O Kung fu torna-se uma arma secreta

O próximo nome significativo na história do Sistema Garra de Águia é Toa Jai, de quem inicia uma linha direta de descendência. Sendo um nobre da última família real da Dinastia Ming, Toa Jai foi altamente educado, e, ainda jovem, sobressaiu-se nas artes da pintura, poesia e música, além de ser um mestre no Sistema Garra de Águia.

No entanto, sua vida mudou dramaticamente. A dinastia Ming foi deposta e substituída pelos Ching ( 1644 - 1911 ), e a vida de todos os membros da família real estava em sério perigo. Toa Jai foi forçado a abandonar sua casa e, para evitar ser assassinado , tornou-se um monge. Viajou por toda a China, praticando e ensinando sua arte. Mas o Imperador, temendo uma revolta dos que eram leais aos Ming, proibiu a prática de todas artes marciais, sob pena de morte imediata. Ele, publicamente, continuou a exercer suas outras habilidades, enquanto praticava e ensinava secretamente o Garra de Águia. Então mais tarde, Toa Jai entrou para história não somente como artista, escritor, ou professor escolar, mas também como o nome que marca o início de uma longa linhagem de grandes mestres do Garra de Águia.

De Toa Jai, o sistema passou para Far Shing, que praticou e ensinou na cidade de Ho Bok ( hoje Beijing ). E depois dele, passou para Lau Shu Chun. Sendo que nesse tempo, começou a ser visto como um tesouro da família Lau, e por muitas gerações foi ensinado somente para os membros desta.

Lau Shu Chun praticou Garra de Águia por várias décadas, e veio a ser um famoso mestre de kung fu no norte da China, conhecido por ajudar os mais fracos diantedos poderosos. Sua lendária habilidade fez com que o apelidassem de Daí Gon Gee Lau (Bastão Mágico de Lau). Dele, o sistema passou para seu sobrinho Lau Shing Yao, que por sua vez passou para seu 3º filho, Lau Kai Man, e para o filho de sua irmã, Chan Tzi Ching.

Chan Tzi Ching

Foi um dos mais famosos mestres do estilo, adquirindo muita fama como lutador. Nunca usando mais de três técnicas para enfrentar seu oponente, ele lutou com sucesso por toda china. Sua força era incrível; ele desenvolveu-a em tal extensão que poderia liberar poder total num soco de três polegadas. Ninguém pôde igualar seu poder ao bloquear seu soco.

Mestre Chan Tzi Ching
Depois de aprender o completo sistema de Lau Shing Yao, Chang Tzi Ching começou a ensinar. Ele foi a 1º pessoa a ensinar Garra de águia no Sul da China, onde os estilos nortistas eram raramente vistos. Em 1915, num lugar chamado Ching Hoy Yun, no estado de Tin Jun, um mestre de kung fu My Jong chamado Fawk Yun Gop convidou-o para ajudar na criação de uma associação marcial, que mais tarde seria conhecida por Chin Woo. Em Shangai eles estabeleceram o primeiro Ginásio Chin Woo. Chan Tzi Ching ensinou Garra de Águia ali, e em pouco tempo tinha mais alunos de que poderia ensinar sozinho. Percebendo nisso uma excelente oportunidade para espalhar o sistema, retornou para sua vila e selecionou alguns dos estudantes de seu primo Lau Kai Man para treinar como assistentes. Entre esses estavam Lau Chi Cheung, Lau Jim Ng, Lau Yim Cheung, Ching Jim Man, Yiu Kin Wah, Lee Bo Ying, e o jovem Lau Fat Mon(que já havia aprendido o Sistema Garra de Águia completo). O grupo viajou para Shangai, onde tornaram-se instrutores, recebendo treinamento nas dez formas básicas Chin Woo:
Tam Tui
Don Do Dui Cheung
Kung Lek Kuen
Toa Kuen
 
Jeet Kuen
Ba Qua Do
 
Dai Jin Kuen
Ng Fu Cheung
 
Dui Tam Tui
Kwan Yeung Kwan


Associação Ching Mo de Shangai Primeira fila , ao centro - Lau Fat Man; e segundo, da direita para esq., Ng Wai Nung

Por 1924, mais dois Ginásios Chin Woo foram fundados, um em Hong Kong sob a direção de Chan Tzi Ching, e um em Fat Sem, onde Lau Fat Man ensinava. Mas em 1929, Chan Tzi Ching teve que retornar a sua aldeia à pedido de sua família. Antes de deixar Hong Kong, pediu à Lau Fat Man para ensinar em seu lugar. Nessa escola havia muitos estudantes, alguns profundamente interessados no Sistema. Entre esses estavam: Ng Wai Nung, Lo Yuen Kun, Lee Chop Ming, e Law Wai Chiu.


Lau Fat Man

Em 1931, aceitou um convite para ensinar na aldeia de Wong Jong, no estado de Gong Moon. Com dois de seus alunos, Ng Wai Nung e Yui Kin Wah, ele fundou um Ginásio Ching Woo na aldeia. Apesar do lugar ser pequeno, cerca de 5000 pessoas, havia cerca de 300 alunos e a escola estava bem provida. Cerca de seis meses após a abertura houve um festival na localidade, no qual estava incluída a primeira demonstração pública do Garra de Águia. Muitas performances foram executadas por Ng Wai Nung e Yui Kin Wah, completadas com acrobacias e quebramentos. A audiência aplaudiu vigorosamente. Então, o Sifu Lau fez uma apresentação especial baseada em Jui Lau Tong (a série especial do Bêbado Garra de Águia). Ambas as mãos eram garras - uma aparentemente segurando a garrafa de vinho, e a outra um copo. Usando mímica, ele cambaleava como uma águia bêbada. De repente, ele caia de costas, mas como mágica levantava novamente sobre seus pés. Podia cair de lado, e girando suas pernas como asas, subia de novo. Na forma do Bêbado Garra de Águia, as técnicas contém os segredos de quedas, rolamentos, vôos, saltos e cambalhotas, e o grande Lau Fat Man espantou a todos com a força interior que demonstrou. O público pode ver que seus movimentos eram suaves e poderosos. Quando ele terminou, os aplausos pareciam um trovão.

Mestre Lau Fat Man
No entanto, esse sucesso mostrou ser provocativo aos praticantes do kung fu sulista na aldeia, que também estavam assistindo. Mais tarde, na casa de chá onde os homens do Garra de Águia estavam celebrando, esses invejosos tornaram - se verbalmente agressivos e ruidosos. Um exaltado atrás da cadeira de Ng Wai Nung tentou esmurrá-lo, mas este percebeu o movimento pelo canto do olho. Com uma mão, ele bloqueou o soco, e espalmou-o na cintura tão forte que o agressor tombou de costas sobre as mesas do recinto. O outro homen saiu correndo para fora, e reverenciou quando Ng wai Nung saiu. No entanto, quando as notícias desse fato chegaram a Lau Fat Man, ele puniu seus dois alunos.
Três anos depois, Lau Fat Man deixou a aldeia, e retornou à Hong Kong a convite da Associação Esportiva Jong Nam. Com ele foi Ng Wai Nung; Yui Kin Wah permaneceu na aldeia para ensinar. Na sua chegada, seus estudantes veteranos da Ching Mo vieram juntar-se a ele, e a Jong Nam ficou bastante lotada.
Em 1936, Lau Fat Man recebeu o oferecimento de uma comissão como coronel se ele fosse ensinar no exército. Ele aceitou a oferta, e ficou no cargo durante o bombardeio de Cantão e até o rendimento dos japoneses. Lá permanecendo, depois, atuando como senador, até a chegada Mao Tse Tung (a Revolução Cultural). Então, retornou a Hong Kong, onde continuou a ensinar o Garra de Águia em sua própria escola. Lau Fat Man morreu de um ataque cardíaco em 17 de Março de 1964, e durante sua vida ajudou a trazer o Sistema para o sul da China.

Ng Wai Nung

Em 1935, Ng Wai Nung já seguia Lau Fat Man a mais de uma década, e apesar de muito ocupado, Lau Fat Man encontrou tempo para ensinar-lhe os segredos mais profundos do punho de Águia. Parte deles eram três formas de grande maestria - Jui Lao Tong (série do bêbado Garra de Águia), Fuk Fu Kuen (controle do punho do Tigre), e Lin Kuen (punhos unidos), também chamada "forma longa", em honra a sua extraordinária amplitude. Esses tesouros do sistema Garra de Águia lhe foram conferidos em sua formatura e culminância dos dez anos de estudo, e são fundamentais na completude do estilo. Ng Wai Nung também completou o Sistema Wu de Tai chi sob os cuidados de Chui Sau Chun e Lau Bing Hun, dois sifus muito famosos.

Em 1957, jantar em honra de Ng Wai Nung quando esse retornou à Hong Kong; à esquerda, Lau Fat Man.
Ng Wai Nung ensinou na escola de Lau Fat Man até 1942. Nessa época, Hong Kong foi envolvida na Segunda Guerra Mundial. O Japão invadiu a cidade, e arrasou-a. Havia pouco dinheiro, o povo estava faminto e o crime imperava. Muitas lojas e negócios foram forçados a fechar, e à noite não havia luz. As horas de escuridão eram passadas com sons de pilhagem, roubos e terrorismo.
Ng Wai Nung decidiu voltar para sua aldeia. Apesar das condições nas áreas circunvizinhas não estarem tão más, a disputa pela propriedade de terras era constante e séria. Como resultado, muitas vilas resolveram aprender kung fu (ele ensinava em três lugares diferentes), além de promoverem paradas com a dança do leão e demonstrações. Logo sua escola tornou-se famosa na região, pois eram exibições de grande qualidade e o povo juntava-se para vê-las.
Nas demonstrações, lhe agradava apresentar "Fuk Fu Kuen" (controle do tigre). Esta forma avançada faz uso específico do chi para conectar os movimentos. Ela requer perfeito controle da força, porque as técnicas são rápidas e lentas, e vice-versa; numa hora é dura, na outra suave, verdadeira força Yin e Yang. "Fuk Fu Kuen" é ensinada somente aos mestres. Além dessa, também executava "Say Moon Daí Do" (grande punhal das quatro portas) - uma forma de Kwan Dao - com tanta força e perícia, que recordava ao povo o protetor do Kung fu, General Kwan Wan Cheung (Kwan Kun).
Em 1949, Ng Wai Nung retornou a Hong Kong, onde ensinou pelos sete anos seguintes. Nessa época, alguns de seus alunos avançados eram Shum Dak Chiu, Shum Man Lock, Shum Yiu Ching, Ho Wai Man, e o jovem, Leung Shum.
Lá permaneceu até 1956, quando a Associação Chin Woo de Singapura necessitou de um Sifu que pudesse ensinar o estilo nortista de Kung fu e Tai Chi Chuan. e por sugestão de Chan Kung Jit (o responsável pela Chin Woo em Shangai), ele foi chamado. Lá, onde permaneceu por três anos, foi a primeira pessoa a ensinar o estilo Wu de Tai Chi Chuan.
Após, retornou à sua escola na Rua Yee Chow em Kowloon, Hong Kong, que havia deixado sob os cuidados de seus estudantes; Shum Man Lock, Shum Yiu Ching e Leung Shum, e que havia prosperado bastante durante sua ausência.
Então, Sifu Ng mudou-a para Rua Tai Nam, e de lá para estrada Tai Po, onde permaneceu até sua morte em 1990. Ele estendeu mais do que qualquer um o sistema Garra de Águia, e o estilo Wu de Tai Chi Chuan; ensinou mais de meio século e produziu excepcionais discípulos, ilustrando o adágio chinês: "Quando a flor se abre, os frutos que crescem dentro se revelam."